TEXTOS SOBRE A REALIDADE BRASILEIRA: ONTEM E HOJE



Quilombo de Palmares - No site "O SUBVERSIVO" com os seguintes itens: A origem - Crescimento das povoações - Principais povoações - A população de Palmares - Organização Social e Política - Os primeiros ataques contra Palmares - Táticas de defesa - ... e Palmares continua crescendo - Novas expedições contra Palmares - Situação política - Rendição de Ganga - Zumba - Sob comando de Zumbi - Em Cucaú - Novas expedições - A chegada dos Bandeirantes - O grande combate - Zumbi é traído - Depois de Zumbi.

O Mito Fundador do Brasil - Texto da Profª Marilena Chaui que é filósofa e professora do departamento de filosofia da USP, autora de "Cultura e Democracia" (Ed. Cortez) e "A Nervura do Real" (Companhia das Letras), entre outros:
"... o poder político, isto é, o Estado, antecede a sociedade e tem sua origem fora dela, primeiro, nos decretos divinos, e, depois, pelos decretos do governante. Isso explica um dos componentes principais de nosso mito fundador, qual seja, a afirmação de que a história do Brasil foi e é feita sem sangue, pois todos os acontecimentos políticos não parecem provir da sociedade e de suas lutas, mas diretamente do Estado, por decretos: capitanias hereditárias, governos gerais, Independência, Abolição, República. Donde também uma outra curiosa consequência: os momentos sangrentos dessa história são considerados meras conspirações ("inconfidências") ou fanatismo popular atrasado (Praieira, Canudos, Contestado, Pedra Bonita, Farroupilhas, MST)." (Jornal "Folha de São Paulo", 26/03/2000)

A carnavalização do Descobrimento - Texto de Carlos Alberto Libânio Christo (Frei Betto), 55, frade dominicano e escritor, assessor de movimentos pastorais e sociais e autor de "Hotel Brasil" (Ática), entre outros livros: "De tal modo a cultura do virtual vem se sobrepondo à do real que o governo FHC parece ter decidido carnavalizar as comemorações dos 500 anos. Qualificar o 'Descobrimento' de 'comunhão de raças' fica bem na coreografia de Momo, onde se dissimulam os preconceitos raciais e sociais e os salários máximos do país se misturam com os mínimos. Exaltar uma suposta "harmonia étnica" é justificável ao som da batucada que iguala, por três dias, o que os outros dias do ano revelam como imensurável abismo de desigualdade social." (Jornal "Folha de São Paulo", 12/03/2000)

Textos sobre a questão do menor - Conjunto de Textos do Site da Área de Sociedade e Cultura / CEFET-SP sobre a questão do menor onde são abordadas questões referentes a FEBEM, Estatuto da Criança e do Adolescente, Idade para responsabilidade penal, etc...

Textos sobre Racismo e Violência no Brasil - Conjunto de Textos do Site da Área de Sociedade e Cultura / CEFET-SP sobre Racismo e violência no Brasil

A era da corrupção: PC Farias não está morto !!! - Texto de Jorge Nóvoa - no Site "Oficina-História" / Universidade Federal da Bahia - Revista "Olho da História" nº 2

Entre a miséria e a ocupação: as Lutas e os desafios dos sem-terra do Brasil - Bernardo Mançano Fernandes - Texto do Site da Associação Nacional dos Geógrafos Brasileiros

Brasil: 500 anos de luta pela terra - Bernardo Mançano Fernandes - No site Data Terra

Este texto também está disponibilizado no Site da Revista Vozes

TEXTOS CRÍTICOS SOBRE OS 500 ANOS DE BRASIL - No Site BRASIL OUTROS 500:

  • Costa da Perplexidade - Texto de Celene de Almeida Fonseca - antropóloga e integrante do movimento 500 Anos de Resistência Indígena Negra e Popular: "O povo brasileiro descobre, perplexo, que 500 anos de sua história estão assentados sobre uma farsa! ... afinal, como dar rumo a um país que traz embutido no seu evento fundador a exclusão da maioria da população? Como fazer progredir um país cuja História tem por base uma "irracionalidade"?"

  • Outros 500: considerações na contracorrente da invenção dos 500 anos - Texto de Marcelo Badaró Mattos - UFF: "Como falar em "descobrimento" em 1500, se de Luzias a Tupinambás já se acumulavam, milênios de presença humana nesta região que, após a conquista européia, seria chamada de América? Ou mesmo por que falar em "descobrimento" se os europeus já conheciam a terra? Como falar das terras que aos poucos se definiram como território colonial português na América como se já se constituíssem em um país, que só surgirá, do ponto de vista político, em 1822? Forçar essa continuidade é enterrar o passado (passado?) de exploração colonial, apresentando como soma de "talentos, valores e origens", como a formação de uma cultura e um povo, uma fase que na realidade se caracterizou pelo embate genocida do europeu colonizador/explorador contra os habitantes originais do território e os africanos para cá trazidos à força, com o único intuito de explorá-los como força de trabalho."

  • 500 anos de Que? - Texto de Sonia Regina de Mendonça - UFF: "Em verdade, a campanha Brasil, 500 anos nada mais é senão a encenação de um grande espetáculo, um verdadeiro teatro da política ou do Estado, se preferirem. E o Estado, para além dos Ministérios, Judiciário ou Legislativo, também precisa produzir uma simbolização de si mesmo, de modo a contar com a credibilidade dos cidadãos, ou seja, de modo a deles extrair sua legitimidade.
    E este Estado-teatro construiu e constrói ritos, liturgias e datas canônicas que são, justamente, os ingredientes indispensáveis para que se cultive no imaginário de todos a idéia de unidade e harmonia, constitutivos de uma Nação sem conflitos."

TEXTOS DO SITE NETHISTÓRIA - No Site http://www.nethistoria.com: - Por quê e como o Brasil foi descoberto?

TEXTOS DO SITE DA PROFESSORA DA USP JANICE THEODORO - No Site Centro Virtual de Estudos Históricos:

Formas alternativas e jurídicas da propriedade da terra no Brasil: os quilombos no Vale do Ribeira - Texto da Professora Lourdes (professora de Geografia da Centro Federal de Educação Tecnológica de São Paulo)

Amostra de fotos/passeata estudantil pró-impeachment do Collor- ano 1992 - Fotos tiradas pelo Professor Laerte (prof. de Filosofia do Centro Federal de Educação Tecnológica de São Paulo)

História da Segregação Urbana na Cidade de São Paulo: 1850 a 1992 - Texto do Professor Laerte (prof. de Filosofia do Centro Federal de Educação Tecnológica de São Paulo). Relaciona a segregação urbana com a expansão de São Paulo no período de 1850 a 1992.

Os Donos da Terra - Texto de Ana Lucia Vulfe Nötzold -  Professora Adjunta do Departamento de História da Universidade Federal de Santa Catarina -UFSC.

Carta de Pero Vaz Caminha - Carta na ìntegra de Pero Vaz de Caminha ao Rei de Portugal - maio de 1500. Há uma apresentação deste documento.

A derrota inglória de uma política de conciliações - Texto de 1984, do escritor Caio Navarro de Toledo, por ocasião dos 20 anos do Golpe de 64 no Brasil. Pretende ser uma crítica das contradições do governo populista de João Goulart.

Textos de História - No Site "Oficina-História" da Universidade Federal da Bahia - http://www.ufba.br/~oficihis:

Traz os seguintes textos sobre história do Brasil:

  • Os Novos Farroupilhas - por: Mário Maestri

  • Viva o 13 de maio! - Por: Mário Maestri

  • 500 anos: faltam velinhas no bolo - Por: Mário Maestri

  • A Bahia na Segunda Guerra Mundial - Por Consuelo Novais Sampaio (Na Revista de História Contemporânea "Olho da História", No. 1)

No Site da TV Cultura - http://www.tvcultura.com.br - Textos sobre estes três livros: "Casa Grande & Senzala", de Gilberto Freyre; "Povo Brasileiro", de Darcy Ribeiro e "Os Sertões", de Euclydes da Cunha:

Textos do Site da Revista de Sociologia e Política - Universidade Federal do Paraná, Curitiba:

  • Bloco no poder e conflitos regionais na primeira república - Renato Monseff Perissinotto (Universidade Federal do Paraná): "O artigo pretende discutir a natureza dos 'conflitos regionais' na Primeira República, interpretando-os não como conflitos entre regiões, mas como conflitos políticos no interior das classes e frações dominantes do período. A pergunta a ser respondida é: por que os conflitos políticos de classe assumem a forma de uma luta entre regiões? Procura-se a resposta através de uma análise da estrutura econômica do período (1889-1930) e dos principais conflitos políticos nacionais. A conclusão é que a hegemonia política no período deve ser pensada em termos de hegemonia de classe e não de região."

Textos do Site "Humanas" da Universidade Federal do Rio de Janeiro - http://www.ifcs.ufrj.br/~humanas - Construído e mantido por alunos do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ):

DOSSIÊ: VISÕES DE CANUDOS: 100 ANOS (Clique aqui) - No Site "Oficina-História" da Universidade Federal da Bahia - http://www.ufba.br/~oficihis:

Traz os seguintes textos:

  • Antonio Conselheiro: um abolicionista da Plebe - por Clóvis Moura

  • Arqueologia de Canudos e dos brasileiros iletrados - por Paulo Eduardo Zenettini

  • Geologia em os sertões de Euclides da cunha: uma abordagem histórica - por José Carlos Santana

  • Religiosidade em Canudos: Interpretação da visão euclidiana - por Vernaide Wanderley & Eugênia Menezes

  • os Sertões: as prédicas de Antonio Conselheiro e a poesia de Canudos - por Aleilton Fonseca

  • Jerusalém de Taipa ou Vale das Lágrimas: algumas observações sobre o debate na Literatura referente a Canudos - por Edwin Reesink

TEXTOS SOBRE A REALIDADE BRASILEIRA PRESENTE E PASSADA - No Site "Brasil outros 500" - mantido por várias entidades como a CUT - http://www.brasil-outros500.org.br/:

Traz os seguintes textos sobre a realidade brasileira:

GREVES GERAIS: uma longa história
  • A greve de 1917 -  As principais reivindicações da greve geral de 1917

  • O porquê das greves -  escrito por Florentino de Carvalho

  • Entrevista do metalúrgico aposentado Armando Suffredini ao jornal Folha de São Paulo, em 30 de maio de 1999 

  • Greve Geral de Resistência ao Golpe

  • Greve Geral de Resistência ao Golpe

  • As greves Gerais dos anos 80

A QUESTÃO DO NEGRO

  • 20 de novembro: escravidão, discriminação e formas de resistência

  • Resistência à escravidão

  • Palmares: A República Negra

  • Zumbi, comandante guerreiro

  • Discriminação e desigualdade hoje

  • Organizações de Resistência

A QUESTÃO DA DÍVIDA

  • Breve Histórico

  • O Funding-Loam

  • A dívida no Pós-Guerra

  • A dívida externa hoje

LUGAR DE CRIANÇA

  • Na Fábrica/ O Reconhecimento dos Direitos

  • Dados Sobre o Trabalho Infantil

  • Sala de Aula

ADEUS PINDORAMA:
OPRESSÃO COLONIAL E RESISTÊNCIA INDÍGENA

  • Adeus Pindorama: opressão colonial e resistência indígena

  • A situação dos indígenas hoje

Filmes sobre o Brasil:

  • Resenha sobre o Filme-Documentário "Jango", de Silvio Tendler - Texto do Prof. Laerte Moreira dos Santos (CEFET-SP) / Trabalho apresentado como conclusão do Curso de Extensão "Documentários: História, crítica e processo de produção", realizado na R. Maria Antonia e ministrado por equipe de pós-graduados da USP e ECA (USP) - de outubro a novembro de 1999.
    Sendo avaliado como um dos melhores, foi selecionado para publicação no site construído por organizadores do referido Curso - "Menmocine" - , e que tem este endereço: http://www.mnemocine.com.br

  • Lamarca: ficção e realidade - Resenha de Patrícia Alves (No Site "Oficina História" / Universidade Federal da Bahia - Revista "Olho da História nº 2: "Neste ensaio, busca-se avaliar, valendo-se da película cinematográfica Lamarca, dirigida por Sérgio Rezende, a forma com que o complexo processo da constituição da luta armada e da guerrilha urbana e rural no Brasil, ante o conturbado período pós-1964, é traduzido nas imagens que compõem o filme."

  • 0 Qu4trilho - Resenha de Cristiane Nova (No Site "Oficina História" / Universidade Federal da Bahia - Revista "Olho da História nº 2: "0 Qu4trilho é um filme que merece ser assistido não somente pelo seu roteiro, mas também pela sua belíssima trilha sonora (Caetano Veloso e Jaques Morelenbaum). E que ele seja visto não apenas como um bom momento do cinema brasileiro, mas ainda como um documento do ‘renascimento’ do cinematografia brasileira e, por que não, da imigração italiana da primeira metade do século no sul do país e, particularmente, dos seus hábitos, costumes familiares e nas relações com a Igreja."

  • Meninos do Brasil - Resenha de Cristiane Nova (No Site "Oficina História" / Universidade Federal da Bahia - Revista "Olho da História nº 2

  • O que é isso companheiro - Resenha de Mário Maestri e Carlos Henrique Serra(No Site "Oficina História" / Universidade Federal da Bahia - Revista "Olho da História nº 2: "Há cadáveres no armário de Bruno Barreto"

  • Vera Sílvia Magalhães: estrangeira em seu próprio país - Sobre o filme "O que é isso Companheiro" - Depoimento de Vera Sílvia Magalhães concedido a Alcides Freire Ramos (do Conselho Editorial da revista Cultura Vozes - Cinema) e Rosângela Patriota (do Conselho Editorial da revista Cultura Vozes - Teatro), em 31-05-1997.

    Para Vera Sílvia Magalhões: "esse filme é de direita. Para os espectadores mais jovens é pior ainda. Na verdade, eles não conseguem perceber por que, no filme, aqueles guerrilheiros são tão idiotas e aqueles torturadores tão humanizados. Os torturadores têm vários conflitos, e nós éramos umas caricaturas das caricaturas, inclusive eu, representada pela Fernanda Torres."