TEXTOS DE E SOBRE PLATÃO

Apologia de Sócrates - Platão / Coleção "Os Pensadores" - Abril Cultural

Comentário sobre a "Apologia de Sócrates" - José Américo Motta Pessanha / Coleção "Os Pensadores" - Abril Cultural

OBRAS DE PLATÃO -

1.Fedon
2.Banquete
3.Teeteto
4.Górgias
5.Sofista
6.O Mito da Caverna
7.Filebo
8.Parmenides

Platão e o amor (livro "O Banquete") - Marilena Chauí (Filósofa e Profª de filosofia na USP):"Que deseja o desejo? Que ama o amor? A beleza imperecível, seu supremo e único Bem. Que é desejar-amar o Belo-Bem? Desejar possuí-lo participando de sua bondade-beleza. Como participar do objeto do desejo-amor? Pelo conhecimento. Eros é desejo de saber: filosofia *. Na contemplação da beleza-bondade - isto é, da idéia do Bem e da Beleza - os humanos alcançam a ciência ou o saber, por meio do qual concebem, engendram e dão nascimento às virtudes e através delas se tornam imortais." (No Site Cortiço Filosófico)

Violência, injustiça e linguagem - Marilena Chauí (Filósofa e Profª de filosofia na USP):"..... violência e injustiça realizam-se principalmente por meio de dois instrumentos: a força física ou a das armas e a palavra. E esta que interessa particularmente a Platão, em sua luta contra a antiga paidéia dos poetas e legisladores e contra a métis e a retórica da nova paideía dos sofistas. O combate platônico à violência e à justiça começa pelo combate à mentira (ilusões, falsificações, simulações e dissimulações conseguidas pelo uso da linguagem)." (Fonte: Site Cortiço Filosófico)

O Mito da Caverna - Marilena Chauí (Filósofa e Profª de filosofia na USP):"Platão precisa recorrer aos mitos para explicar por que, sem possuirmos conhecimentos verdadeiros, desejamos o conhecimento verdadeiro. Precisa explicar que, de algum modo, já estamos na posse de alguma noção (ainda que muito vaga) da verdade e que é ela que nos empurra para a dialética. Independentemente da discussão sobre o que Platão realmente pensava dos mitos que narrou, podemos dizer que possuem a função de afirmar que nascemos do verdadeiro e destinados a ele. Sem isto, a dialética seria uma técnica impossível, pois não teria o que atualizar em nossa alma." (Fonte: Site Cortiço Filosófico)

O "problema Platão" e a História da Filosofia - Marilena Chauí (Filósofa e Profª de filosofia na USP):"... a obra de Platão é o conjunto formado pelos escritores de Platão e pelos escritos de seus leitores, o conjunto de seus textos e dos textos de seus intérpretes. A obra platônica são escritos de Platão motivados pelas questões teóricas e práticas de seu tempo, e a posteridade filosófica que seus escritos tiveram a força para suscitar. Se há diferentes interpretações e, no entanto, todos os leitores se consideram intérpretes do verdadeiro Platão, é porque cada um deles, em seu tempo e nos problemas que enfrenta, encontra, no escrito platônico, o tema ou a questão que está discutindo e interpretando." (No Site Cortiço Filosófico)

Vida e obra de Platão - Marilena Chauí (Filósofa e Profª de filosofia na USP): com os itens: síntese biográfica de Platão - viagem à Siracusa - A obra - O problema Platão e a História da Filosofia. (Fonte: Site Cortiço Filosófico)

Várias obras de Platão em inglês - Cratylus (cratylus), Critias (critias), Crito (crito), Euthydemus (euthydem) Euthyphro (euthyphr), Gorgias (gorgias), etc... (No site: Platão)

O Mito da Caverna - Nilo Odália (Universidade Estadual Paulista, Unesp, Campus de Araraquara): "Factualdo e Juquinha ficaram quietos e pensativos, eles conheciam o mito, gostariam de dizer alguma coisa, especialmente o Factualdo que não estava de acordo, porém preferiram ficar quietos. Sentiam a mesma emoção que todos estavam sentindo. Alguém disse:
- Acho que o Platão era esse sujeito quee fugiu da caverna. (No site: FILOSOFIA)

Protágoras (em grego e em espanhol) - No Site espanhol: http://www.filosofia.org:

ATENÇÃO: É necessário para a visualização com caracteres gregos fazer download dos programas abaixo:

GRIEGO.EXE (caracteres gregos)
MATH.EXE (caracteres gregos, signos matemáticos e lógicos em grego)

Se precisar de informações para instalação destas fontes CLIQUE AQUI

Análise do Pensamento de Platão por tópicos: indíce analítico e sistemático - de Evaldo Pauli, Prof. da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSCA: vida de Platão - Obras de Platão - Lógica de Platão - Gnoseologia de Platão - Trindade platônica - Física de Platão - Psicologia de Platão - Filosofia Moral e Social de Platão - Academia Antiga (No site: http://www.cfh.ufsc.br/~simpozio/Megahist-filos/ME-Hfil.html)

Comentário sobre o diálogo Platônico: FEDON (em espanhol) - Do livro "La filosofía griega", Siglo veintiuno editores, 1972, págs. 58-62

Teoria da Alma (Psicologia) e da vida virtuosa (Ética) em Platão - Marilena Chauí (Do Livro: Introdução à História da Filosofia - dos pré-socráticos Aristóteles, Editora Brasiliense, 1994, SP, pág. 21-219)

O Viver de modo filosófico segundo Platão - Pierre Hadot (Do livro: "O que é a Filosofia Antiga?, Edições Loyola, SP, 1999, pág.102-110)

Apologia de Sócrates - Platão (Tradução de Maria Lacerda de Moura - Copista: Miguel Duclós / No Site "Consciência HomePage")

Do ponto à loucura - de Marcelo Gleiser: "O grande filósofo grego Platão, que viveu aproximadamente de 428 a.C. a 348 a.C., via o mundo dos sentidos com grande suspeita. Para ele, a representação de um círculo jamais será tão perfeita quando a idéia do círculo que habita a mente." (Jornal "Folha de São Paulo", 1999)

Sobre Platão - Em um ótimo Site português de Filosofia: "Nenhuma referência à filosofia pode passar à margem de Platão. Este grego, que viveu há mais de dois mil anos, ao dar um significado definido aos termos "filosofia" e "razão", marcou decisivamente o destino do saber e da civilização ocidentais, permanecendo ainda hoje como um ponto de referência obrigatório, tanto para os filósofos, como para os anti-filósofos."

A crítica de Platão ao teatro e a Homero como educador - Miguel Duclós (no Site Consciencia Home-Page): "A atividade poética (para Platão), quando permite a contradição, faz parte de uma função de uma faculdade da alma que é contrária à ciência, pois se baseia no relato físico, sensível, que é alheio ao número e ao cálculo. Logo, mimesis está ligada à pior parte da alma, a parte das paixões, que não tem em vista nada a de verdadeiro, e só foge ao bom senso. O amante de espetáculos, na interpretação de Havelock, é contrário ao tipo de saber intelectual que Platão ligava ao Ser."

O mito de Prometeu e Epimeteu segundo Ésquilo, Hesíodo e Platão - Miguel Duclós (no Site Consciencia Home-Page)

Os filósofos neoplatônicos - Miguel Duclós (no Site Consciencia Home-Page): "O movimento neoplatônico foi uma corrente filosófica do final da antiguidade, sendo a mais importante desse período, é considerada um pouco obscura, em parte por envolver aspectos e experiências que não podem ser descritos com simples palavras."

Críton ou o dever - Edição virtual por Miguel Duclós - Extraído do livro Diálogos, da coleção Clássicos Cultrix / Tradução: Jaime Bruna (no Site Consciencia Home-Page)

Personagens: Sócrates e Críton, dois velhos / Partes do diálogo: Argumento de Críton (43a-46a), A resposta de Sócrates (46a-50a), O Discurso das Leis (50a-54e)